contato@sao-al.com.br

Telefone: (82) 3320.5414

Cirurgia refrativa: evolução da técnica x rapidez na recuperação

Cirurgia refrativa: evolução da técnica x rapidez na recuperação

As técnicas de cirurgia refrativa – procedimento que corrige miopia, hipermetropia, presbiopia e astigmatismo – evoluíram e o tempo de recuperação diminuiu bastante, com a possibilidade de uma cicatrização mais rápida nos procedimentos mais modernos.O que todas as modalidades existentes têm em comum é que são seguras, realizadas em menos de dez minutos e sem necessidade de internação. São indicadas para quem tem problemas causados por erros de refração, ou seja, miopia (má visão à distância), hipermetropia ou presbiopia (visão próxima ruim) e astigmatismo (visão embaçada ou desfocada, tanto de longe, quanto de perto) e está com o grau estável há pelo menos um ano (a diferença de grau de até 0,5 neste período). Por isso, quem tem menos de 18 anos não pode fazer, pois antes dessa idade, o grau não estabiliza.

O que mudou?

Na cirurgia realizada com a técnica convencional, de Ceratectomia Fotorrefrativa, ou PRK, uma fina película da córnea é totalmente removida, o que faz com que a recuperação seja mais lenta. Após a aplicação do laser para correção do erro refrativo, uma lente de contato terapêutica é colocada na superfície corneana para promover a cicatrização e o alívio do desconforto nos primeiros dias do pós-operatório. Já nos procedimentos realizados com a técnica mais moderna, a Laser Assisted In Situ Keratomileusis, ou simplesmente Lasik, é utilizado um laser de femtosegundo para fazer o flap, uma área circular, com alta precisão, na superfície da córnea. Diferente da PRK, nesta técnica, a superfície da córnea não é retirada, mas levantada e jogada para trás, para acessar a parte intermediária da córnea e corrigir o erro de refração. Um segundo laser é utilizado para remodelar a superfície da córnea e atingir a graduação desejada. Finalizada essa etapa, o flap é recolocado e encaixado com precisão sobre a lente. Essa inovação reduziu o tempo de cicatrização da córnea, possibilitando ao paciente retornar mais rápido às atividades normais do dia a dia, com algumas restrições para esportes.

Dicas para melhor recuperação

Após a cirurgia, é importante evitar infecções e lesões por contato, com algumas medidas: durante o período de cicatrização, usar uma proteção ocular, seguir corretamente a medicação indicada pelo oftalmologista e evitar piscina, esportes de luta, contato e com bola, coçar os olhos e maquiagem.

Lembre-se: antes de fazer a cirurgia, é necessário realizar exame oftalmológico completo (avaliar o grau, a saúde do olho, o aspecto da córnea, da retina, a pressão ocular, entre outras coisas).

 

Fonte: Portal da Oftalmologia